"Não somos escravos!": trabalhadores brasileiros contemporâneos em condições análogas às de escravo

Autores

Aldo Antonio de Azevedo
Universidade de Brasília (UnB)
https://orcid.org/0000-0003-2991-8520
Sadi Dal Rosso
Universidade de Brasília (UnB)
https://orcid.org/0000-0003-0535-6535
Zilda Vieira de Souza Pfeilsticker
https://orcid.org/0000-0002-0583-6793
Palavras-chave: Trabalho escravo, Relações trabalhistas, Condições de trabalho, Condições de vida

Sinopse

O presente livro é o resultado de uma análise geral acerca do chamado “trabalho em condição análoga à de escravo no Brasil contemporâneo”; e, de modo específico, de uma pesquisa realizada a partir de dados obtidos junto ao Ministério do Trabalho e Emprego, em 2012 e 2013, tidos como os anos de maior ocorrência de autuações dos grupos de fiscalização móveis em fazendas da região Norte do país, em particular no estado do Pará, quanto às práticas de trabalho, da chamada “escravidão contemporânea”, em especial, a “escravidão por dívida”. A pesquisa contou com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e teve como objetivo geral analisar o perfil sóciodemográfico e a origem social dos trabalhadores brasileiros contemporâneos em condições análogas às de escravo. Dois objetivos específicos foram considerados, a saber: analisar a estrutura familiar, educacional, ocupacional, por idade, sexo e demais informações contidas nos formulários dos trabalhadores resgatados; e traçar a origem social destes, por intermédio de informações contidas nas guias do seguro-desemprego e nos relatórios de fiscalização de operações e autuações. Os resultados encontrados pela pesquisa reforçam o entendimento sobre como e por que razões se reproduz a escravidão na sociedade contemporânea. As modernas sociedades empregam trabalho escravo, por ser barato e abundante. Reagem os escravizados: NÃO SOMOS ESCRAVOS!

Capítulos

  • Apresentação
  • Introdução
  • Capítulo 1 - Trabalho em condições análogas às de escravo
  • Capítulo 2 - Dados sociodemográficos dos trabalhadores das fazendas do Pará (2012-2013): análise estatística
  • Capítulo 3 - Relações de trabalho
  • Capítulo 4 - Condições de trabalho
  • Capítulo 5 - Condições de vida
  • Capítulo 6 - A invisibilidade do trabalho feminino e infantil-juvenil nas fazendas
  • Conclusão
  • Referências

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Francisco; NOVAES, José Roberto P. Precarização e pagamento por produção: a lógica do trabalho na agroindústria canavieira. In: FIGUEIRA, Ricardo; PRADO, Adonia A.; SANTANA JÚNIOR, Horácio A. (Org.). Trabalho escravo contemporâneo: um debate interdisciplinar. Rio de Janeiro: Mauad X, 2011. p. 99-126.

BALES, Kevin. I nuovi schiavi: la merce umana nell’economia globale. Milano: Feltrinelli, 2000.

BALES, Kevin. Disposable people: New Slavery in the global economy. Berkeley, California: University of California Press, 2004.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial da União, Brasília, 05 out. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 25 jun. 2016.

BRASIL. Lei n.º 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 25 jun. 2016.

BRASIL. Portaria n.o 550, de 14 de junho de 1995. Diário Oficial da União, Brasília, 16 jun. 1995. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/36848009/do1-2018-08-15-portaria-n-550-de-14-deagosto-de-2018-36847992. Acesso em: 25 jun. 2016.

BRASIL. Portaria n.o 540, de 27 de outubro de 1997. Aprova o Regulamento Técnico: Aditivos Alimentares - definições, classificação e emprego. Diário Oficial da União, Brasília, 28 out. 1997. Disponível em: Acesso em: 25 jun. 2016

BRASI. Lei n.o 10.803, de 11 de dezembro de 2003. Altera o art. 149 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal, para estabelecer penas ao crime nele tipificado e indicar as hipóteses em que se configura condição análoga à de escravo. Diário Oficial da União, Brasília, 12 dez. 2003a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2003/L10.803.htm. Acesso em: 01 jun. 2017.

BRASIL. Lei n.o 10.706, de 30 de julho de 2003. Autoriza a União a conceder indenização a José Pereira Ferreira. Diário Oficial da União, Brasília, 31 jul. 2003b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.706.ht>. Acesso em: 01 jun. 2017.

BRASIL. Lei n.o 11.718, de 20 de junho de 2008. Acrescenta artigo à Lei no 5.889, de 8 de junho de 1973, criando o contrato de trabalhador rural por pequeno prazo; estabelece normas transitórias sobre a aposentadoria do trabalhador rural; prorroga o prazo de contratação de financiamentos rurais de que trata o § 6o do art. 1o da Lei no 11.524, de 24 de setembro de 2007; e altera as Leis nos 8.171, de 17 de janeiro de 1991, 7.102, de 20 de junho de 1993, 9.017, de 30 de março de 1995, e 8.212 e 8.213, ambas de 24 de julho de 1991. Diário Oficial da União, Brasília, 23 jun. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2003/L10.803.htm. Acesso em: 01 jun. 2017

BRASIL. Lei n.o 13.467, de 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei n.º 5.452, de 1º de maio de 1943, e as Leis n. 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho. Diário Oficial da União, Brasília, 14 jul. 2017a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.706.htm Acesso em: 01 jun. 2017.

BRASIL. Portaria n.o 1.153, de 30 de outubro de 2017. Aprova o Regimento Interno dos órgãos de assistência direta e imediata ao Ministro de Estado do Trabalho e específicos singulares do Ministério do Trabalho. Diário Oficial da União, Brasília, 13 nov. 2017b. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/19407967/do1-2017-11-13-portaria-n-1-153-de-30-de-outubro-de-2017-19407889: Acesso em: 25 jun. 2016.

BRASIL. Portaria n.o 549, de 7 de agosto de 2018. Estabelece regras acerca da periodicidade, formato e sistema relativos à disponibilização das informações e dos dados contábeis, orçamentários e fiscais da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, no exercício de 2019, em atendimento ao § 2º do art. 48 da Lei Complementar n.º 101, de 4 de maio de 2000, e as respectivas regras para a atualização dos registros do Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias - CAUC em relação aos incisos I e XIX do art. 22 da Portaria Interministerial n.º 424, de 30 de dezembro de 2016, alterada pela Portaria Interministerial nº 451, de 18 de dezembro de 2017, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 8 ago. 2018. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/35900608/do1-2018-08-08-portarian-549-de-7-de-agosto-de-2018-3590060. Acesso em: 25 jun. 2016.

CAMARGO, Luis. Trabalho escravo no Brasil, 125 anos depois. Correio Braziliense, p. 13, 2013.

COMBATENDO o trabalho escravo contemporâneo: o exemplo do Brasil. International Labour Office; ILO Office in Brazil [Escritório da OIT no Brasil]. Brasília: ILO, 2010. 1 v.

DAL ROSSO, Sadi. A jornada de trabalho na sociedade. O Castigo de Prometeu. São Paulo: LTr. 1996.

EMPREGADA Doméstica: trabalho ou escravidão?. Jornal A Verdade, 12 jun. 2012. Disponível em: http://averdade.org.br/2012/06/12. Acesso em: 16 ago. 2016.

FIGUEIRA, Maria Manuela Caria. Identificação de Outliers. Millenium, n. 12, out. 1998.

FIGUEIRA, Ricardo Rezende. Pisando fora da própria sombra: a escravidão por dívida no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

FIGUEIRA, Ricardo Rezende. Debate sobre Trabalho escravo contemporâneo. Brasília: UnB, 25 de fevereiro de 2013. Promoção dos Departamentos de Sociologia e de Serviço Social da UnB. [Palestra]

FIGUEIRA, Ricardo Rezende; PRADO, Adonia Antunes; JÚNIOR, Horácio Antunes de Sant’Ana (Org.). Trabalho escravo contemporâneo: um debate transdisciplinar. Rio de Janeiro: Mauad X, 2011.

GARCIA JR., Afrânio Raul. O Sul: caminho do roçado. Estratégias de reprodução camponesa e transformação social. São Paulo: Marco Zero; CNPq/UnB, 1989.

HIRATA, Helena. A precarização e a divisão internacional e sexual do trabalho. Sociologias, Porto Alegre, Ano 11, n. 21, p. 24-41, jan./jun. 2009,

KERGOAT, Danielle; HIRATA, Helena. Novas configurações da divisão do trabalho doméstico. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 132, set./dez. 2007.

LEE, Sangheon; McCANN, Deirdre; MESSENGER, Jon. C. Duração do trabalho em todo o mundo: tendências de jornadas de trabalho, legislação e políticas numa perspectiva global comparada. Secretaria Internacional de Trabalho - Brasília: OIT, 2009.

MARTINS, José de Souza. O cativeiro da terra. São Paulo: Contexto, 1986.

MARTINS, José de Souza. A reprodução do capital na frente pioneira e o renascimento da escravidão no Brasil. Tempo Social, Rev. de Sociol. USP, v. 6, n. 1-2, 1994 (edit. jun. 1995).

MARTINS, José de Souza. A escravidão nos dias de hoje e as ciladas da interpretação. In: ______. (Org.). Trabalho escravo no Brasil contemporâneo. São Paulo: Loyola, 1999. p. 127-164.

MARTINS, Sérgio Pinto. Trabalho análogo ao de escravo. IOB-OT-Suplemento de Legislação, Jurisprudência e Doutrina, Ano XXIV, n. 1, jan. 2005.

MARX, Karl. O Capital. 6. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

MELO Luís Antônio Camargo. Atuação do Ministério Público do trabalho no combate ao trabalho escravo – crimes contra a organização do trabalho e demais crimes conexos. In: MELO Luís Antônio Camargo. Possibilidades jurídicas de combate à escravidão contemporânea. Brasília: Organização Internacional do Trabalho-OIT, 2007.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Trabalho escravo contemporâneo: a experiência brasileira na erradicação. Brasília: TEM/ASCOM, 2008.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Manual de combate ao trabalho em condições análogas às de escravo. Brasília: MTE, 2011. 96p.

NEVES, Débora Maria Ribeiro. Trabalho escravo e aliciamento. São Paulo: LTr, 2012.

OFFICE of the High Comissioner for Human Rights Fact Sheet nº 14, 1991.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT). Convenção no 29, de 10 de junho de 1930, sobre Trabalho forçado ou Obrigatório. Disponível em: https://www.ilo.org/brasilia/convencoes/WCMS_235021/lang--pt/index.htm. Acesso em: 10 jun. 2016.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT). Convenção no 105, de 5 de junho de 1957, relativa à Abolição do Trabalho Forçado. Disponível em: https://www.ilo.org/brasilia/convencoes/WCMS_235195/lang--pt/index.htm. Acesso em: 10 jun. 2016.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT). Uma aliança global contra o trabalho forçado. Relatório global do seguimento da declaração da OIT sobre princípios e direitos fundamentais no trabalho. Relatório I (B), Conferência Internacional do Trabalho, 93ª Reunião. Genebra, 2005, tradução de Edilson Alckimim Cunha.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT). Perfil dos principais atores envolvidos no trabalho rural do brasil. Organização Internacional do Trabalho - OIT. Brasília: OIT, 2011. v 1.

RETRATO das desigualdades de gênero e raça / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada [et al.]. 4. ed. Brasília: Ipea, 2011.

SAKAMOTO, Leonardo (Org.). Trabalho escravo no Brasil do século XXI. Brasília: OIT, 2006.

SAFFIOTI, Heleieth. A mulher na sociedade de classes – mito e realidade. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SCHWARZ, Rodrigo Garcia. Trabalho escravo: a abolição necessária: uma análise da efetividade e da eficácia das políticas de combate à escravidão contemporânea no Brasil. São Paulo: LTr, 2008.

SILVA, Marcelo Ribeiro. Trabalho análogo ao de escravo rural no Brasil do século XXI: novos contornos de um antigo problema. 2010. 280f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas - Direito) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2010.

SILVA, Jandira Maciel da. Violência e trabalho no campo In: MENDES, René. Dicionário de saúde e segurança do trabalhador, conceitos, definições, história, cultura. Novo Hamburgo, RS: Proteção Publicações e Eventos, 2018. p. 1237-1239.

STEDILE, João Pedro; TRASPADINI, Roberta (Org.). Ruy Mauro Marini: vida e obra. São Paulo: Expressão Popular, 2005.

THÉRY, Hervé et al. Atlas do trabalho escravo no Brasil. São Paulo: Amigos da Terra - Amazônia Brasileira, 2012.

WOOLDRIDGE, José Murteira. Introdução à econometria: uma abordagem moderna. São Paulo: Thomsom/Pioneira, 2010. v. 4.

Capa para "Não somos escravos!": trabalhadores brasileiros contemporâneos em condições análogas às de escravo
Publicado
setembro 24, 2020

Detalhes sobre essa publicação

ISBN-13 (15)
978-65-5846-038-1
Bookmark and Share