Descolonizando sexualidades: enquadramentos coloniais e homossexualidade indígena no Brasil e nos Estados Unidos

Autores

Estevão Rafael Fernandes
Universidade Federal de Rondônia (UNIR)
http://orcid.org/0000-0002-1667-0549

Sinopse

A partir da comparação entre Brasil e Estados Unidos e fazendo uso de vasto material histórico e etnográfico, este livro investiga as várias formas de manejo moral dos povos indígenas utilizadas em sua incorporação compulsória ao sistema colonial, bem como as respostas por parte desses povos nos dois países. Tal comparação buscou incorporar as perspectivas two-spirit e as críticas coloniais a fim de compreender os caminhos a partir dos quais a subalternização da homossexualidade indígena passa a ser parte inerente da colonização.

Nestas páginas vemos como a colonização equivale, necessariamente, a um aparato burocrático-administrativo, político e psicológico para normalizar as sexualidades indígenas, moldando-as à ordem colonial. Entretanto, tais práticas de disciplinamento não impedem respostas por parte dos indígenas cujas sexualidades operam fora do modelo hegemônico, de modo que tais formas de contestação nos permitem compreender melhor os movimentos indígenas, as relações interétnicas e as políticas indigenistas, assim como as relações de poder nestes dois contextos nacionais.

Capítulos

  • Capítulo 1 - Urdindo a pesquisa
  • Capítulo 2 - De índios sodomitas a padres jesuítas: barbárie e luxúria na invenção do Brasil
  • Capítulo 3 - Da colonização das sexualidades indígenas à heterossexualização da nação: políticas indigenistas e sexualidades indígenas
  • Capítulo 4 - Quando existir é resistir: two-spirit como crítica colonial
  • Capítulo 5 - Disto isto
  • Referências

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, Capistrano de. Rã-txa hu-ni-ku-i. Grammatica, textos e vocabulário Caxinauás. 2ª. Ed. Rio de Janeiro: Sociedade Capistrano de Abreu, 1941.

ALEXANDRINO, Ronaldo. A suposta homossexualidade. Dissertação (Mestrado em Educação). Campinas: Unicamp, 2009.

ALMEIDA, Rita Heloísa de. O Diretório dos índios: Um projeto de “civilização” no Brasil do Século XVIII. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1997.

AMANTINO, Márcia. E eram pardos, todos nus, sem coisa alguma que lhes cobrisse suas vergonhas. In: DEL PRIORE, Mary; AMANTINO, Márcia (Orgs). História do corpo no Brasil. São Paulo: Unesp. 2011.

AMOROSO, Marta Rosa. Mudança de hábito: Catequese e educação para índios nos aldeamentos capuchinhos. Rev. bras. Ci. Soc., vol.13, n.37, p. 101-114. 1998.

ANZALDÚA, Gloria. La conciencia de la mestiza: rumo a uma nova consciência. Rev. Estud. Fem. vol.13, n.3, p. 704-719. 2005.

ARENAS, Mar García. Los antecedentes de un exilio: la expulsión de los jesuitas de Brasil y su llegada a los estados pontificios (1759-1760). Trocadero: Revista de historia moderna y contemporânea (Universidad de Cadiz), n. 25, p. 1-18. 2013.

BAINES, Stephen G. Uma Tradição Indígena no Contexto de Grandes Projetos: Os Waimiri-Atroari. Anuário Antropológico 1996, p. 68-81. 1997.

BALDUS, Herbert. Ensaios de etnologia Brasileira. São Paulo, Rio de Janeiro, Recife: Companhia Editora Nacional, 1937.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Rev. Bras. Ciênc. Polít. n. 11, p. 89-117. 2013.

BARTOLOMÉ, Miguel Alberto. As Etnogêneses: Velhos Atores e Novos Papéis no Cenário Cultural e Político. Mana, vol. 12, no 1, p. 39-68. 2006.

BARTRA, Roger. El salvaje en el espejo. México DF: Coordinación de Difusión Cultural, Coordinación de Humanidades, Universidad Nacional Autónoma de México, 1992.

BARTRA, Roger. The artificial savage: modern myths of the wild man. Ann Harbor: University of Michigan Press, 1997.

BELL, Betty. Gender in Native America. In: DELORIA, Philip J.; SALISBURY, Neal. A companion to American Indian History. Oxford: Blackwell Publishers. P. 307-319. 2004.

BICALHO, Poliene Soares dos Santos. Protagonismo indígena no Brasil: Movimento, Cidadania e Direitos (1970-2009). Tese (Doutorado em História). Brasília: Universidade de Brasília, 2010.

BIGIO, Elias dos Santos. Cândido Rondon: a integração nacional. Rio de Janeiro: Contraponto, 2000.

BOELLSORFF, Tom; CABRAL, Mauro; CÁRDENAS, Micha; COTTEN, Trystan; STANLEY; Eric A.; YOUNG, Kalaniopua; AIZURA, Aren Z. Decolonizing Transgender: a roundtable discussion. Transgender Studies Quartely. Vol. 1, n. 3. P. 419-439. Aug/2014.

BONIFÁCIO, José. Apontamentos para a Civilisação dos indios bravos do Imperio do Brazil. In: CUNHA, Manuela Carneiro da. Legislação indigenista no Século XIX: Uma compilação: 1808-1889. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Comissão Pró-Índio, 1992.

BRÁSIO, António. O Espírito Missionário de Portugal na época dos Descobrimentos. Lusitania Sacra, n. 5. Lisboa. P. 101-120. 1961.

BRITO, Ivo. (Org.). Sexualidade e saúde indígenas. Brasília, Paralelo 15, 2011.

BROWN, Lester B (Ed.). Two Spirit People: American Indian Lesbian Woman and Gay Men. Binghamton: The Haworth Press, 1997.

BRUYNEEL, Kevin. The third space of sovereignty: the postcolonial politics of U.S.-indigenous relations. Minneapolis, University of Minnesota Press, 2007.

BUENO, Eduardo. À Sua Saúde – A Vigilância Sanitária na História do Brasil. Brasília: ANVISA, 2005.

CALHEIROS, Orlando. Aikewara. Esboços de uma sociocosmologia tupi-guarani. Tese (Doutorado em Antropologia Social), Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2014.

CAMBI, Franco. História da Pedagogia. São Paulo: Editora Unesp, 1999.

CANCELA, Cristina Donza; SILVEIRA, Flávio Leonel Abreu da; MACHADO, Almires. Caminhos para una pesquisa acerca da sexualidade em aldeias indígenas no Mato Grosso do Sul, Rev. Antrop. 53(1): 199-235. 2010.

CANESE, Natalia K. de; ALCARAZ, Feliciano A. Diccionario Guarani/Español – Español/Guarani. Assunção: Instituto Superior de Línguas, Asunción, Universidad Nacional de Asunción, 2000.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. A dupla interpretação da antropologia. O trabalho do antropólogo. São Paulo, Editora da Unesp; Brasília: Paralelo 15. P. 95-106, 2000.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. Da comparação. Caminhos da identidade: ensaios sobre etnicidade e multiculturalismo. São Paulo, Editora da Unesp; Brasília: Paralelo 15. P. 203-223, 2006.

CARNEIRO, Robert. Extra-Marital sex freedom among the Kuikuru Indians of Mato Grosso. Revista do Museu Paulista N.S., X. 1956/58. São Paulo. 1958.

CARRARA, Sérgio. Estratégias anticoloniais: sífilis, raça e identidade nacional no Brasil de entreguerras. In: HOCHMAN, Gilberto; ARMUS, Diego (Orgs). Cuidar, Controlar, Curar: ensaios históricos sobre saúde e doença na América Latina e Caribe. Rio de Janeiro: Ed.Fiocruz. p. 427-453, 2004.

CARVAJAL, Gaspar de. Descobrimentos do rio das Amazonas, traduzidos e anotados por C. de Melo-Leitão. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1941.

CASTRO, Eduardo Viveiros de. O mármore e a murta: sobre a inconstância da alma selvagem. A inconstância da alma selvagem e outros ensaios de Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify. P. 181-264. 2002.

CASTRO, Eduardo Viveiros de. O Nativo Relativo, Mana, 8(1): 113-149. 2002.

CASTRO, Francisco José Viveiros de. Attentados ao pudor. Rio de Janeiro: Livraria Editora Freitas Bastos, 1934.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. (Post)Coloniality for Dummies: Latin American Perspectives on Modernity, Coloniality , and the Geopolitics of Knowledge. In: MORAÑA, Mabel; DUSSEL, Enrique; JÁUREGUI, Carlos (Eds.). Coloniality at Large. Latin America and the Postcolonial Debate, Latin America Otherwise. Durham: Duke University Press. p. 259-285. 2008.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. La poscolonialidad explicada a los niños. Bogotá: Universidad del Cauca, Instituto Pensar, 2005.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramon (Eds.) Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 80, P. 115-147, 2008.

CAVALCANTE, Berenice. José Bonifácio: razão e sensibilidade, uma história em três tempos. Rio de Janeiro: FGV, 2001.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. Lisboa: Livraria Sá da Costa Editora, 1978.

CHAMORRO, Graciela. Decir el Cuerpo: Historia y etnografia del cuerpo em lós pueblos Guarani. Asunción, Tiempo de Historia, Fondec, 2009.

CHICANGANA-BAYONA, Yobenj Aucardo. Os Tupis e os Tapuias de Eckhout: o declínio da imagem renascentista do índio. Varia hist. vol.24, n.40, p. 591-612. 2008.

CHICANGANA-BAYONA, Yobenj Aucardo. Visões de terras, canibais e gentios prodigiosos. ArtCultura – Revista do Instituto de História da Universidade Federal de Uberlândia. Vol. 12, n. 21. P. 35-53. Jul.-Dez. 2010.

CLARK, Anna. Desire: A History of European Sexuality. New York; London: Routledge, 2008.

COELHO, Mauro Cezar. Do sertão para o mar – Um estudo sobre a experiência portuguesa na América, a partir da Colônia: o caso do Diretório dos Índios (1751 -1798). Tese de doutorado (História Social). São Paulo: Universidade de São Paulo, 2005.

COELHO, Mauro Cezar; SANTOS, Rafael Rogério Nascimento dos. Monstruoso systema […] intrusa e abusiva jurisdicção: O Diretório dos Índios no discurso dos agentes administrativos coloniais (1777-1798). Revista de História (São Paulo). n. 168, p. 100-130. 2013.

COLINI, Giuseppe Angelo. Studio storico ed etnográfico del dott. G. A. Colini. In: BOGGIANI, Guido. I Caduvei (Mbayá o Guaycuru), Viaggi d’um artista nell’America Meridionale. Roma: Ermanno Loescher & C., 1895.

CONKLIN, Beth A.; GRAHAM, Laura. The Shifting Middle Ground: Amazonian Indians and Eco-Politics. American Anthropologist, 97 (4), 1994.

CRAVEIRO, Silvia da Silva. Educação escolar e saúde indígena: uma análise comparativa das políticas nos níveis federal e local. São Paulo: EAESP-FGV, 2004.

CRAWFORD, Katherine. European sexualities, 1400-1800. Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Antropologia do Brasil: Mito, História e Etnicidade. São Paulo: Brasiliense; Edusp, 1986.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Imagens de índios do Brasil: o século XVI. Estudos Avançados, vol.4, n.10, p. 91-110. 1990.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Introdução a uma história indígena. In: CUNHA, Manuela Carneiro da (Org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1992a.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Introdução a uma história indígena. In: CUNHA, Manuela Carneiro da. Índios do Brasil: história, direitos e cidadania. São Paulo: Claro Enigma, 2012a.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Legislação indigenista no Século XIX: Uma compilação: 1808-1889. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Comissão Pró-Índio, 1992b.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Pensar os Índios: apontamentos sobre José Bonifácio. In: CUNHA, Manuela Carneiro da. Cultura com aspas e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2009a.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Política indigenista no século XIX. In: CUNHA, Manuela Carneiro da (Org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1992c.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Política indigenista no século XIX. In: CUNHA, Manuela Carneiro da. Índios do Brasil: história, direitos e cidadania. São Paulo: Claro Enigma, 2012b.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Por uma história indígena e do indigenismo. In: CUNHA, Manuela Carneiro da. Cultura com aspas e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2009b.

CURIEL, Ochy. Hacía la construcción de un feminismo descolonizado. In: MIÑOSO, Yuderkys Espinosa (Org.). Aproximaciones críticas a las prácticas teórico-políticas del feminismo latinoamericano – Vol 1 – Buenos Aires: En la Frontera, P. 69 – 78, 2010.

D’ABEVILLE, Claude. História da Missão dos Padres Capuchinhos na Ilha do Maranhão e terras circunvizinhas; em que se trata das singularidades admiráveis e dos costumes estranhos dos índios habitantes do país. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora, 1945.

D’EVREUX, Yves. Viagem ao Norte do Brasil feita nos annos de 1613 a 1614 pelo padre Ivo D’evreux, religioso capuchinho, publicada conforme o exemplar unico conservado na Biblioteca Imperial de Pariz. Maranhão: Typ. Do Frias, 1874.

D’EVREUX, Yves. Voyage au nord du Brésil (1615). Édition critique établie par Franz OBERMEIER. Kiel: Westenseeverlag-Verlag, 2012.

DAMATTA, Roberto. Mito e linguagem social. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1970.

DAVIS, Jenny. More than just ‘gay Indians’: Intersecting articulations of Two-Spirit gender, sexuality, and indigenousness. In: ZIMMAN, Lal; DAVIS, Jenny; Raclaw, Joshua (Eds.) Queer Excursions: Retheorizing Binaries in Language, Gender, and Sexualiy. P. 62-80. Oxford: Oxford University Press, 2014.

DESCONHECIDO. Cartas Avulsas: 1550-1568. Série Publicações da Academia Brasileira, Cartas Jesuíticas II. Rio de Janeiro: Officina Industrial Gráfica, 1931.

DIACON, Todd. Rondon: o marechal da floresta. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

DINIZ, Eugênio. Um diálogo de Surdos: O Projeto Calha Norte. Lua Nova, nº 34, P. 87-116, 1994.

DRISKILL, Qwo-Li. “Doubleweaving: Two-Spirit Critiques: Building alliances between Native and Queer Studies”. GLQ: A Journal of Lesbian and Gay Studies, vol. 16, nos 1-2, p. 69-92. 2010.

DRISKILL, Qwo-Li. Call Me Brother: Two-Spiritedness, the Erotic, and Mixed-blood Identity as Sites of Sovereignty and Resistance in Gregory Scofield’s Poetry. In: GOULD, Janice; RADER, Dean (Orgs.) Speak to Me Words: Essays on Contemporary American Indian Poetry. Tucson: University of Arizona Press. P. 223-34, 2003.

DRISKILL, Qwo-Li. Stolen from our bodies: First Nations Two-Spirits/Queers and the Journey to a Sovereign Erotic”. Studies in American Indian Literatures. Vol. 16, no. 2. P. 50-64. Summer 2004.

DRISKILL, Qwo-Li; FINLEY, Chris; GILLEY, Brian; MORGENSEN, Scott. Queer Indigenous Studies: Critical Interventions in Theory, Politics, and Literature. Tucson: The University of Arizona Press, 2011.

DUSSEL, Enrique. 1492: O encobrimento do outro: a origem do mito da modernidade – conferências de Frankfurt. Petrópolis: Vozes, 1993.

DUSSEL, Enrique. Europa, modernidade e eurocentrismo. In: LANDER, Edgardo (Org.) A colonialidade do saber: Eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas Latino-Americanas. Colección Sur-Sur, Buenos Aires: Clacso. P. 24-32. 2005.

EDMUNDS, Russell David. Native Americans and the United States, Canada and Mexico. In: DELORIA, Philip J.; SALISBURY, Neal. A companion to American Indian History. Oxford: Blackwell Publishers. P. 397-420, 2004.

EISENBERG, José. A escravidão voluntária dos índios do Brasil e o pensamento político moderno. Análise Social, vol. XXXIX (170), P. 7-34, 2004.

EISENBERG, José. António Vieira and the Justification of Indian Slavery. Luso-Brazilian Review, Vol. 40, n. 1, Special Issue: António Vieira and the Luso-Brazilian Baroque. Summer, P. 89-93. 2003b.

EISENBERG, José. As missões jesuíticas e o pensamento político moderno: encontros culturais, aventuras teóricas. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.

EISENBERG, José. Cultural encounters, theoretical adventures: the Jesuit missions to the new world and the justification of voluntary slavery. History of political thought, Vol. XXIV, n. 3, Autumn, P. 375-396, 2003a.

EISENBERG, José. O político do medo e o medo da política. Lua Nova, n. 64, p. 49-60, 2005.

ENDERS, Armelle. “Um presidente americano na selva”. Revista de História da Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro), nº 11, p. 31-33. Out. 2006.

EPPLE, Carolyn. Coming to terms into Navajo nádleehí: a critique of berdache, ´gay’, ‘alternate gender´ and ‘two-spirit´. American Anthropologist, vol. 25, no 2, p. 267-290, 1998.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FANON, Frantz. Racismo e cultura. In: SANCHES, Manuela Ribeiro (Org.). Malhas que os impérios tecem: textos anticoloniais, contextos pós-coloniais. Lisboa: Edições 70. P. 273-285, 2011.

FARAGE, Nádia. As muralhas dos sertões: os povos indígenas no Rio Branco e a colonização. Dissertação de Mestrado (Antropologia Social). Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 1986.

FARIA, Luiz de Castro. Pesquisas de Antropologia Física no Brasil. História. Bibliografia. Boletim do Museu Nacional – Nova Série. Antropologia. n. 13. Rio de Janeiro. 20 de abril de 1952.

FAULHABER, Priscila. O indigenismo militar no Amazonas como veículo de incorporação dos índios Miranha à nacionalidade. In: FREIRE, Carlos Augusto da Rocha (Org.) Memoria do SPI: textos, imagens e documentos sobre o Serviço de Proteção aos Índios (1910-1967). Rio de Janeiro: Museu do Índio/Funai. P. 419-426, 2011.

FAUSTO, Carlos. A Indigenização da Mercadoria e suas Armadilhas, In: GORDON, Cesar. Economia Selvagem: Dinheiro, Ritual e Mercadoria entre os Xikrin do Cateté. São Paulo: Ed. Unesp, 2006.

FERREIRA NETO, Edgar Leite: Notórios rebeldes: a expulsão da Companhia de Jesus na América portuguesa. Tres grandes cuestiones de la Historia de Iberoamérica: Ensayos y Monografías: Derecho y Justicia en la Historia de Iberoamérica: Afroamérica, la tercera raíz: Impacto en América de la expulsión de los jesuítas. Madrid: Fundación Maphre Tavera, 2000.

FERREIRA, Alexandre Rodrigues. A proposito de uma estampa representando um índio Cambeba. Archivos do Museu Nacional do Rio de Janeiro, Volume XVI, p. 191-195, 1903.

FERREIRA, Alexandre Rodrigues. Diario da Viagem Philosophica pela Capitania de São-José do Rio-Negro com a informação do estudo presente pelo Dr. Alexandre Rodrigues Ferreira, Naturalista, empregado na expedição philosophica do Estado. Revista Trimestral do Instituto Historico e Geographico Brazileiro. Tomo LI, 1º. Folheto de 1888. Rio de Janeiro: Typographia, Lithographia e Encadernação a vapor de Laemmert & C, 1888.

FIXICO, Donald. Federal and State Policies and American Indians. In: DELORIA, Philip J.; SALISBURY, Neal. A companion to American Indian History. Oxford: Blackwell Publishers. P. 379-395, 2004.

FLEXOR, Maria Helena Ochi. Aprender a ler, escrever e cantar no Brasil do século XVIII. Filologia e linguística portuguesa (USP). N. 4. P. 97-157, 2001.

FLORENCIO, Thiago de Abreu e Lima. A busca da salvação entre a escrita e o corpo: Nóbrega, Léry e os Tupinambá. Dissertação (Mestrado em História). Rio de Janeiro: PUC, 2007.

FONSECA, Carlos da. Deus está do nosso lado: excepcionalismo e religião nos EUA. Contexto int. vol.29, n.1, p. 149-185, 2007.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FRANCO, José Eduardo. A Companhia de Jesus e a Inquisição: afectos e desafectos entre duas instituições influentes (Séculos XVI-XVII). Congresso Internacional sobre o Espaço Atlântico de Antigo Regime: Poderes e Sociedades, 2005. Disponível em: http://cvc.instituto-camoes.pt/eaar/coloquio/comunicacoes/jose_eduardo_franco.pdf. Acesso em: 28 jun. 2019.

FREYRE, Gilberto. Sobrados e Mucambos. Coleção Intérpretes do Brasil, vol. 2. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 2002.

GADOTTI, Moacir. História das ideias pedagógicas. São Paulo: Ática, 2011.

GAMSON, Joshua. As sexualidades, a teoria queer e a pesquisa qualitativa. In: DENZIN, Norman et al. O planejamento da pesquisa qualitativa. Teorias e abordagens. Porto Alegre, Artmed, 2006.

GANDAVO, Pero de Magalhães de. Historia da Provincia de Santa Cruz a que vulgarmente chamamos Brasil. Lisboa: Typographia da Academia Real das Sciencias, 1858.

GARZA CARVAJAL, Federico. Butterflies will burn: prosecuting sodomites in early modern Spain and Mexico. Austin: University of Texas Press, 2003.

GENOVESE, Maddalena; ROUSELL, Davina. Safe and Caring Schools for Two-Spirit Youth: A guide for teachers and students. Alberta, The Society for Safe and Caring Schools & Communities. Disponível em: http://www.safeandcaring.ca/wp-content/uploads/2013/08/Two-Spirited-Web-Booklet.pdf. Acesso em: jun. 2019.

GILLEY, Brian Joseph. Becoming two-spirit: Gay Identity and Social Acceptance in Indian Country. University of Nebraska Press, 2006.

GILLEY, Brian Joseph. Mark Rifkin. When Did Indians Become Straight? Kinship, the History of Sexuality, and Native Sovereignty. (review). The American Historical Review, vol. 117, no 2, p. 571-572, 2012.

GILLEY, Brian Joseph. Native Sexual Inequalities: American Indian Cultural Conservative Homophobia and the Problem of Tradition. Sexualities, vol. 13, no 1, p. 47–68, 2010.

GOMES, Aguinaldo Rodrigues; NOVAIS, Sandra Nara da Silva. Práticas sexuais e homossexualidade entre os indígenas brasileiros. Caderno Espaço Feminino, v. 26, p. 44-57, 2013.

GONTIJO, Fabiano. A Diversidade Sexual e de Gênero em Contextos Rurais e Interioranos no Brasil: ausências, lacunas, silenciamentos e exortações. V Reunião Equatorial de Antropologia, Maceió, 2015.

GOULET, Jean-Guy A. The “berdache”/“two-spirit”: A comparison of Anthropological and Native constructions of gendered identities among the Northern Athapaskans. The Journal of the Anthropological Institute, vol. 2, no 4, p. 683-701, Dec.1996.

GREGOR, Thomas. Anxious pleasures: the sexual lives of an Amazonian people. Chicago: University of Chicago Press, 1985.

GREGOR, Thomas. Mehinaku. Chicago: Chicago University Press, 1977.

GROESEN, Michiel van. The representations of the overseas world in the De Bry Collection of voyages (1590-1634). Leiden; Boston: Brill, 2008.

GROSFOGUEL, Ramón. Descolonizando los universalismos occidentales: el pluri-versalismo transmoderno decolonial desde Aimé Césaire hasta los zapatistas. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramon (Eds.) El giro decolonial: reflexiones para uma diversidad epistêmica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos, Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar, 2007.

GROSFOGUEL, Ramón; MIGNOLO, Walter. Intervenciones Descoloniales: una breve introducción. Tabula Rasa, n. 9, P. 29-38, 2008.

GUERRA, Verônica Alcântara. Despeitadas: Travestis, da aldeia indígena para o mundo. IV Reunião Equatorial de Antropologia/XVIII Reuião de Antropólogos do Norte e Nordeste. Fortaleza, 2013.

GURGEL, Cristina B. F. M.; ROSA, Camila A. Pereira da. História da medicina: A varíola no Brasil colonial (Séculos XVI e XVII). Revista de Patologia Tropical. Vol. 41 (4), Out-Dez; P. 387-399, 2012.

HEMMILA, Anita. Ancestors of two-spirits: Representations of Native American Third-Gender males in Historical documentation: A critical discourse analysis in Anthropology. Pro Gradu Thesis in English. Dept of Languages. University of Jyväskylä, 2005.

HERCKMAN, Elias. Descripção geral da Capitania da Parahyba. Revista do Instituto Archeologico e Geographico Pernambucano, tomo V, n. 31, p. 239-288. Recife: Typographia Industrial, 1886.

HILL, Jonathan D. (Org.). History, Power, and Identity: Ethnogenesis in the Americas, 1492-1992. Iowa, University of Iowa Press, 1996.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Visão do Paraíso: os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil. São Paulo: Brasiliense; Publifolha, 2000.

HUGH-JONES, Christine. From the milk river: spatial and temporal processes in Northwest Amazonia. Nova Iorque: Cambridge University Press, 1979.

HULME, Peter. Colombo e os Canibais. História Social. Campinas. N. 8/9. P. 13-53. 2001.

JACOBS, Sue Ellen; THOMAS; Wesley; LANG, Sabine (Eds.). Two-Spirit People: Native American Gender Identity, Sexuality, and Spirituality. Urbana, University Of Illinois Press, 1997.

JORDAN, Mark D. The Invention of Sodomy in Christian theology. Chicago: University of Chicago Press, 1997.

JURT, Joseph. O Brasil: um Estado-nação a ser construído. O papel dos símbolos nacionais, do Império à República. Mana, vol.18, n.3, p. 471-509, 2012.

JUSTICE, Daniel Health; RIFKIN, Mark; SCHNEIDER, Bethany. Introduction. GLQ: A Journal of Lesbian and Gay Studies, Vol. 16. Ns. 1-2. P. 5-39, 2010.

KATZ, Jonathan. Gay American History. New York: Meridian, 1992.

KOBAYASHI, Elisabete; FARIA, Lina; COSTA, Maria Conceição da. Eugenia e Fundação Rockefeller no Brasil: a saúde como proposta de regeneração nacional. Sociologias. n. 22, p. 314-351, 2009.

KRISTEVA, Julia. Powers of Horror: An Essay on abjection. New York: Columbia University Press, 1982.

KUPER, Adam. Antropólogos e Antropologia. Rio de Janeiro: Ed. Francisco Alves, 1978.

LACOUTURE, Jean. Os Jesuítas: 1. Os conquistadores. Porto Alegre: L&PM, 1994.

LADEIRA, Maria Inês. O caminhar sob a luz: território mbya à beira do oceano. São Paulo: Editora Unesp, 2007.

LAFORTUNE, Richard. Two Spirit Activism: Mending the Sacred Hoop. Tukum: Politics+spirituality+culture. Volume 25, Number 4. p. 46, July/August 2010.

LAGROU, Els. A fluidez da forma: arte, alteridade e agência em uma sociedade amazônica [Kaxinawá, Acre]. Rio de Janeiro: Top Books, 2007.

LAQUEUR, Thomas. Making Sex: Body and Gender. Cambridge: Harvard University Press, 1990.

LEA, Vanessa.O som do silêncio (Paul Simon). Cad. Pagu. n.41, p. 87-93, 2013.

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Tomo I (Século XVI – o estabelecimento). Lisboa: Livraria Portugália; Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1938.

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Tomo IV (Norte – 2) Obra e Assuntos Gerais, Séculos XVII-XVIII). Lisboa: Livraria Portugália; Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1943.

LÉRY, Jean de. History of a voyage to the land of Brazil, otherwise called America. Berkeley: University of California Press, 1990.

LÉRY, Jean de. Viagem à terra do Brasil. São Paulo. Livraria Martins, 1941.

LÉRY, Jean de. Voyage au Brésil. Lausanne: Bibliothèque romande, 1972.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O cru e o cozido (Mitológicas I). São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

LÉVI-STRAUSS, Claude. The social use of kinship terms among Brazilian Indians. American Anthropologist, New Series, Vol. 45, N. 3, Part 1 (Jul. – Sep., 1943). P. 398-409, 1943.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Tristes Trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

LIMA, Antônio Carlos de Souza. El indigenismo en Brasil: migración y reapropiaciones de un saber administrativo. In: Pacheco de Oliveira, João (Org.). Hacia una antropologia del indigenismo: estudios críticos sobre los procesos de dominación y las perspectivas políticas actuales de los indigenas en Brasil. P. 97-125. Rio de Janeiro – Lima: Contra Capa; Centro Amazònico, 2006.

LIMA, Antônio Carlos de Souza. O governo dos índios sob a gestão do SPI. In: CUNHA, Manuela Carneiro (Org.). História dos índios no Brasil. P. 155-173. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

LIMA, Antônio Carlos de Souza. Um grande cerco de paz: poder tutelar, indianidade e formação do Estado no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1995.

LIMA, Ildebrando Alves de; GOLDFARB, Patrícia Lopes. Religiosidade e Intolerância na Parahyba Colonial: O trabalho da catequese Franciscana entre os nativos. Revista Brasileira da História das Religiões, ANPUH. Ano II, n. 4, Mai. P. 267-288, 2009.

LIMA, Nísia Trindade, HOCHMAN, Gilberto. Pouca saúde, muita saúva, os males do Brasil são...’ Discurso médico-sanitário e interpretação do país. Ciênc. saúde coletiva. vol.5, n.2, p. 313-332, 2000.

LOMAWAIMA, K. Tsianina. American Indian Education: by Indians versus for Indians. In: DELORIA, Philip J.; SALISBURY, Neal. A companion to American Indian History. Oxford: Blackwell Publishers. P. 422-439, 2004.

LUCIANO, Gersem José dos Santos. Educação para manejo e domesticação do mundo: entre a escola ideal e a escola real: os dilemas da educação escolar indígena no Alto Rio Negro. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Brasília: PPGAS/UnB, 2011.

LUGONES, Maria. The Coloniality of Gender. Worlds & Knowledges Otherwise 2, Dossier 2. Spring, 2008.

MAGALHÃES, Couto de. Parte II: Origens, costumes e região selvagem. O Selvagem. Rio de Janeiro: Typographia da Reforma, 1876.

MARÇAL, Heitor. Moral Ameríndia. Coleção Brasileira de Divulgação, Série I, Etnologia, nº 1. Rio de Janeiro: Serviço de documentação do Ministério da Educação e Saúde, 1946.

MÉTRAUX, Alfred. Ethnography of the Chaco. In: STEWARD, J. H. (Ed). Handbook of South American Indians. Vol 1. The Marginal Tribes. Smithsonian Institution Bureau of American Ethnology. Bulletin 143. Washington: United States Government Printing Office, 1948.

MIGNOLO, Walter. Desobediência epistêmica: A opção descolonial e o significado de identidade em política. Cadernos de Letras da UFF. n. 34, P. 287-324, 2008b.

MIGNOLO, Walter. Desobediencia epistémica: retórica de la modernidad, lógica de la colonialidad y gramática de la descolonialidad. Argentina: Ediciones del signo, 2010.

MIGNOLO, Walter. La idea de América Latina. La herida colonial y la opción decolonial. Barcelona: Editorial Gedisa, 2007.

MIGNOLO, Walter. La opción de-colonial: Desprendimiento y apertura: Um manifesto y um caso. Tabula rasa. n. 8, P. 243-281, 2008a.

MIGNOLO, Walter; TLOSTANOVA, Madina. The Logic of Coloniality and the Limits of Postcoloniality. In: HAWLEY, John; Revathi KRISHNASWAMY (Eds.) The Postcolonial and the Global. Minneapolis: University of Minnessota Press, 2008.

MISKOLCI, Richard. A Teoria Queer e a Sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologias. n.21, p. 150-182, 2009.

MISKOLCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica Editora; Universidade Federal de Ouro Preto, 2012.

MONTEIRO, John M. Tupis, tapuias e historiadores: Estudos de história indígena e do Indigenismo. Tese de Livre Docência (Departamento de Antropologia). Campinas: IFCH/Unicamp, 2001.

MOREIRA, Nubia Regina. O feminismo negro brasileiro: um estudo do movimento de mulheres negras no Rio de Janeiro e São Paulo. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Campinas: Unicamp, 2007.

MOREL, Benedict-Augustin. Tratado das degenerescências na espécie humana. Rev. latinoam. psicopatol. fundam., vol. 11, n. 3, p. 497-501, 2008.

MORGENSEN, Scott. Becoming two-spirit: Gay Identity and Social Acceptance in Indian Country (Review). American Anthropologist, vol. 35, no 02. 2008.

MORGENSEN, Scott. Queer Settler Colonialism in Canada and Israel: Articulating Two-Spirit and Palestinian Queer Critiques. Settler Colonial Studies, Vol. 2, n. 2. P. 167-190, 2012.

MORGENSEN, Scott. Unsettling Queer Politics: What can non-Natives learn from two-spirit Organizing?. In: DRISKILL, Qwo-Li; FINLEY, Chris; GILLEY, Brian;MORGENSEN, Scott. Queer Indigenous Studies: Critical Interventions in Theory, Politics, and Literature. Tucson: The University of Arizona Press, P. 132-153, 2011.

MOTA, Dalva Suely Moraes. Conhecimentos indígenas e educação em Ciências: a sexualidade Kambeba como elemento de preservação cultural. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências na Amazônia) Manaus: UEA, 2013.

MOTT, Luiz. A homossexualidade entre os índios do Novo Mundo antes da chegada do homem branco. BRITO, Ivo et al. Sexualidade e saúde indígenas. P. 83-94. Brasília: Paralelo 15, 2011.

MOTT, Luiz. Escravidão e Homossexualidade. In: VAINFAS, Ronaldo (Org.) História e Sexualidade no Brasil. Rio de Janeiro, Edições Graal. P. 19-40, 1986.

MOTT, Luiz. Igreja e homossexualidade no Brasil: Bibliografia temática, 1547-2006. Disponível em http://www.diversidadecatolica.com.br/opiniao_mott.asp. Acesso em: 22 jun. 2013 (em junho de 2019 o site encontrava-se fora do ar). II Congresso sobre Epistemologia, Sexualidade e Violência, São Leopoldo, RS, 2006.

MOTT, Luiz. Justitia et Misericordia: The Portuguese Inquisition and Repression of the Nefarious Sin of Sodomy. In: JOHNSON, Harold; DUTRA, Francis (Orgs.) Pelo vaso traseiro: Sodomy and Sodomites in Luso-Brazilian History. P. 63-104. Tucson: Fenestra Books, 2007.

MOURA, Carlos Eugênio Marcondes de Moura. Estou aqui. Sempre estive. Sempre estarei. Indígenas do Brasil. Suas imagens (1505-1955). São Paulo: Edusp, 2012.

MURPHY, Robert; QUAIN, Buell Quain. The Trumaí Indians of Central Brazil. Seattle & London: University of Washington Press. 1955.

NASCIMENTO, Silvana de Souza. Variações do feminino: circuitos do universo trans na Paraíba. Revista de Antropologia, v. 57, p. 376-411, 2014.

NIMUENDAJU, Curt. As lendas da criação e destruição do mundo como fundamento da religião dos Apapocúva-Guarani. São Paulo: Hucitec/Edusp, 1987.

NIMUENDAJU, Curt. The Tukuna. In: LOWIE, Robert (org.), Publications in American Archaeology and Ethnology. Berkeley/Los Angeles, University of California Press, vol. 45, 1952.

NÓBREGA, Manuel da. Cartas do Brasil (1549-1560). Rio de Janeiro: Officina Industrial Graphica, 1931.

OLIVEIRA, João Pacheco de Oliveira. A problemática dos ‘índios misturados’ e os limites dos estudos americanistas: um encontro entre antropologia e história. In: Ensaios em antropologia histórica. p. 99-123. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1999.

OLIVEIRA, João Pacheco de; FREIRE, Carlos Augusto da Rocha. A presença indígena na formação do Brasil. Brasília: MEC/SECAD; Rio de Janeiro: Museu Nacional/LACED, 2006.

OLIVEIRA, Priscila Enrique de. “Cada qual tem um pouco de médico e louco”: Políticas de saúde e mediações culturais entre o SPI (Serviço de Proteção aos Índios) e os indígenas. Tese (Doutorado em História). Campinas: Departamento de História/Unicamp, 2011.

OSHIRO, Julieta Hitomi. Educação para a Saúde nas instituições de Saúde Pública. Dissertação (Mestrado em Filosofia da Educação) São Paulo: PUC, 1988.

PAGDEN, Anthony. The fall of natural man: the American Indian and the origins of comparative ethnology. New York: Cambridge University Press, 1982.

PANET, Rose-France de Farias. ‘I-mã a Kupên prãm’: Prazer e sexualidade entre os Canelas. Tese (Doutorado em Políticas Públicas e em Antropologia). São Luís; Paris: Universidade Federal do Maranhão; École Pratique de Hautes Études. 2010.

PÉREZ, Emma. Queering the Borderlands: The Challenges of Excavating the Invisible and Unheard. Frontiers: A Journal of Women Studies. Vol. 24, Nos. 2-3. P. 122-131, 2003.

PÉREZ, Emma. The decolonial Imaginary: writing Chicanas into history. Bloomington: Indiana University Press, 1999.

PERRONE-MOISÉS, Beatriz. Índios livres e índios escravos: os princípios da legislação indigenista do período colonial (séculos XVI a XVIII). In: CUNHA, Manuela Carneiro (Org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

PICQ, Manuela Lavinas; TIKUNA, Josi. Sexual modernity in Amazônia. E-international relations. Disponível em: http://www.e-ir.info/2015/07/02/sexual-modernity-in-amazonia/. Acesso em: jun. 2019. Artigo publicado em 2 de julho de 2015.

PINTO, Estevão. Os Indígenas do Nordeste (Vol. 1). São Paulo: Cia Editora Nacional, 1935.

POIRIER, Guy. French Renaissance travel accounts: imagens of sin, visions of the New World. Journal of Homosexuality. 25(3), p. 215-29. 1993.

POIRIER, Guy. Sodomicques et Bougerons: Imagologie Homosexuelle à la Renaissance. Tese (Doutorado em Língua e Literatura Francesa). Montréal: Department of French Language and Literature, McGill University, 1990.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad y modernidad/racionalidad. In: BONILLA, Héctor (Org.) Los conquistados. 1492 y la población indígena de las Américas. Quito: Tercer Mundo-Libri Mundi Editores. 1992.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocetrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (org). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latinoamericanas. Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina, 2005.

RAMINELLI, Ronald. Ciência e colonização – Viagem Filosófica de Alexandre Rodrigues Ferreira. Tempo, n.6, p.157-182, 1998.

RAMINELLI, Ronald. Do conhecimento físico e moral dos povos: iconografia e taxionomia na Viagem Filosófica de Alexandre Rodrigues Ferreira. Hist. cienc. saúde. vol.8, suppl., p. 969-992, 2001.

RAMINELLI, Ronald. Imagens da colonização: a representação do índio de Caminha a Vieira. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1996.

RAMINELLI, Ronald; SILVA, Bruno da. Teorias e imagens antropológicas na Viagem Filosófica de Alexandre Rodrigues Ferreira (1783-1792). Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciênc. hum. vol. 9, n. 2, p. 323-342, 2014.

RAMOS, Alcida Rita. O índio hiper-real. Revista Brasileira de Ciências Sociais. 28(10): p. 5-14. 1995.

REPETTO, Maxim. Movimentos Indígenas e Conflitos Territoriais no Estado de Roraima. Boa Vista, Editora da UFRR, 2008.

RIBEIRO, Darcy. Arte Índia. In: RIBEIRO, Darcy (Ed.) Suma etnológica brasileira, volume 3: Arte índia. Petrópolis: Vozes, 1986.

RIBEIRO, Darcy. Confissões. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

RIBEIRO, Darcy. Os índios e a civilização. Petrópolis: Vozes, 1979.

RIFKIN, Mark. When did Indians become straight? Kinship, the history, and Native Sovereignty. Oxford University Press, 2011.

RODRIGUES, Patrícia de Mendonça. A caminhada de Tanyxiwè: Uma teoria Javaé da História. Tese (Doutorado em Antropologia – versão em português). Chicago: University of Chicago, 2008.

ROGERS, Paulo. Os afectos mal-ditos: O indizível das sexualidades camponesas. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social). Brasília: PPGAS/UnB, 2006.

RONDON, Cândido Mariano da Silva. Índios do Brasil, Volume 01. Rio de Janeiro: Ministério da Agricultura/CNPI, 1946.

ROQUETTE-PINTO, Edgard. Rondônia. São Paulo: Editora Nacional; Brasília: INL, 1975.

ROSA, Patricia Carvalho. Romance de primas com primas e o problema dos afetos: parentesco e micropolítica de relacionamentos entre interlocutores Tikuna, sudoeste amazônico. Cad. Pagu. n. 41, p. 77-85, 2013.

ROSÁRIO, José Manuel. História dos índios cavalleiros, ou da nação guaycurú, escripta no real presídio de Coimbra por Francisco Rodrigues do Prado – Trasladada de um manuscripto offerecido ao Instituto pelo Socio Correspondente José Manuel do Rosário. Revista do Instituto Histórico e Geographico do Brazil. Tomo I, n. 1, 1º. Trimestre de 1839.

ROSCOE, Will. (Ed.). Living the spirit: a Gay American Indian Anthology. New York, St. Martin’s Press, 1988.

ROSCOE, Will. Changing ones: third and fourth genders in native North America. New York: St. Martin’s Press, 1988.

ROSCOE, Will. Was We’Wha a homossexual? Native American survivance and the Two-Spirit tradition. GLQ: A Journal of Lesbian & Gay Studies. vol. 2, p. 193-235, 1995.

SACCHI, ngela. Mulheres indígenas e participação política: a discussão de gênero nas organizações de mulheres indígenas. Revista Anthropologicas. Vol. 14, ns. 1-2. P. 95-110, 2003.

SALZANO, Francisco. Contato agride saúde do índio. Revista de Atualidade Indígena. nº 6, P. 16-24 Brasília: Funai, 1979.

SAMPAIO, Patrícia Maria Melo. “Administração Colonial e Legislação Indigenista na Amazônia Portuguesa”. PRIORE, Mary del; GOMES, Flávio dos Santos. (Org.). Os Senhores dos Rios: Amazônia, História e Margens. Rio de Janeiro: Campus. p. 123-139. 2003.

SAMPAIO, Patrícia Maria Melo. Espelhos partidos: etnia, legislação e desigualdade na Colônia. Manaus: EdUFAM, 2011.

SAMPAIO, Patrícia Maria Melo. Vossa Excelência mandará o que for servido...: políticas indígenas e indigenistas na Amazônia Portuguesa do final do século XVIII. Tempo, vol. 12, n. 23, p. 39-55, 2007.

SAMPAIO, Theodoro. As etimologias indígenas de Elias Herckman. Revista do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, Tomo XI, Recife, P. 30-36, 1904.

SANTOS, Amédis Germano dos. Poder e violência do discurso. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica). São Paulo: PUC, 2005.

SARAIVA, José Hermano. Portugal: A companion History. Manchester: Carcanet; Lisboa: Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, 1997.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Editora Autores Associados, 2010.

SCALIA, Anne Caroline Mariank Alves. A Companhia de Jesus e a formação da cultura sexual brasileira: um estudo histórico e documental a partir dos escritos do padre Manuel da Nóbrega. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar). Araraquara: Unesp, 2009.

SCARAMELLA, Pierroberto. Sodomia. In: PROSPERI, Adriano (Org.) Dizionario storico dell’Inquisizione, Vol. III. Pisa: Edizioni della Normale, Scuola Normale Superiore di Pisa. P. 1445-1450, 2010.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O Espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SCHWARTZMAN, Simon. A formação da comunidade científica no Brasil. Rio de Janeiro: Finep; São Paulo: Editora Nacional, 1979.

SCURO, Giulia. Paradigmi scientifici e narrativi dell’omosessualità nella letteratura francese dell’Ottocento (1810-1905). Tese (Doutorado em Filologia Moderna), Nápoli: Universitá degli Studi di Napoli Federico II, 2014.

SILVA, Alcionilio Bruzzi Alves da. A Civilização Indígena do Uaupés. São Paulo: Missão Salesiana do Rio Negro, 1962.

SILVA, Ana Rosa Cloclet da. Inventando a Nação. Intelectuais ilustrados e estadistas luso-brasileiros no crepúsculo do Antigo Regime Português: 1750-1822. Tese (Doutorado em História). Campinas: IFCH/Unicamp, 2000.

SILVA, Cristhian Teófilo da. The astonishing resilience: ethnic and legal invisibility of indigenes from a Brazilian perspective. Vibrant. Vol. 4, n. 2. P. 97-119, 2007.

SILVA, Paulo de Tássio Borges da. Há lugar para a homossexualidade num regime de índio?. In: Anais do VI Congresso Internacional de Estudos sobre a Diversidade Sexual e de Gênero da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura- ABEH. Salvador, 2012.

SKIDMORE, Thomas. Uma História do Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

SMITH, Linda Tuhiwai. Decolonizing Methodologies: Research and Indigenous Peoples. New York, Dunedin: Zed Books Ltd., University of Otago Press, 2008.

SOUSA, Gabriel Soares de. Noticia sobre os Indios Tupinambás, seus costumes, etc. extractada de um manuscripto da Bibliotheca de S.M. o imperador. Revista do Instituto Histórico e Geographico do Brazil: Terceira edição do Tomo I. P. 156-176, 1908.

SOUSA, Gabriel Soares de. Tratado descritivo do Brasil em 1587; edição castigada pelo estudo e exame de muitos códices manuscritos existentes no Brasil, em Portugal, Espanha e França, acrescentada de alguns comentários por Francisco Adolfo de Varnhagen. Belo Horizonte, Editora Itatiaia, 2000.

SOYER, François. Ambiguous gender in early modern Spain and Portugal: inquisitors, doctors and the transgression of gender norms. Leiden; Boston: Brill, 2012.

SPARGO, Tamsim. Foucault e a teoria Queer. Rio de Janeiro, Pazulin; Juiz de Fora, EdUFJF, 2006.

SPIX, Johann B. von; MARTIUS, Karl F. P. von. Viagem pelo Brasil (1817-1820). Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, v. 3, 1981.

STADEN, Hans. Primeiros registros escritos e ilustrados sobre o Brasil e seus habitantes. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 1999.

STEINEN, Karl von den. Entre os Borôros (Tradução do cap. XVII do livro Unter den Naturvölkern Zentral-Brasiliens, por Basílio de Magalhães). Revista do Instituto Historico e Geographico Brasileiro, Tomo LXXVIII, Parte II, p. 391-490, 1915.

STEPAN, Nancy. A Eugenia no Brasil – 1917 a 1940. In: HOCHMAN, Gilberto e ARMUS, Diego (Orgs). Cuidar, Controlar, Curar: ensaios históricos sobre saúde e doença na América Latina e Caribe. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz. p. 331-391, 2004.

STEPHEN, Lynn. We are the face of Oaxaca: Testimony and Social Movements. Durham: Duke Press, 2013.

STOLER, Ann Laura. Carnal knowledge and imperial power: race and the intimate in colonial rule. Berkeley: University of California Press, 2002.

STOLER, Ann Laura. Race and the education of desire: Foucault´s history of sexuality and the colonial order of things. Durham: Duke Press, 1995.

STOLKE, Verena. O enigma das interseções: classe, “raça”, sexo, sexualidade: a formação dos impérios transatlânticos do século XVI ao XIX. Rev. Estud. Fem. vol.14, n.1, p. 15-42, 2006.

THEVET, André. Singularidades da França Antarctica: a que outros chamam de América. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1944.

THOMS, J. Michael. Leading an extraordinary life: Wise practices for an HIV prevention campaign with Two-Spirit men. Ontario: 2-Spirited People of the 1st Nations, 2007.

TODOROV, Tzvetan. A conquista da América: a questão do Outro. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

TORRÃO FILHO, Amílcar. Tríbades galantes, fachonos militantes: homossexuais que fizeram história. São Paulo: Summus, 2000.

TORRES, Maristela Souza. Mulher karajá. Desvendando tradições e tecendo inovações: diálogo sobre as demandas de gênero. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). São Paulo: PUC, 2011.

TOTA, Martinho. Eixos, nexos e câmbios da diferença: discursos e trajetórias políticas envolvendo etnicidade, homossexualidade e religião. Bagoas: Revista de Estudos Gays. v. 7, p. 295-322, 2013a.

TOTA, Martinho. Entre as diferenças: gênero, geração e sexualidades em contexto interétnico. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Rio de Janeiro: PPGAS/UFRJ, 2012.

TOTA, Martinho. Entre as diferenças: gênero, geração e sexualidades em contexto interétnico. Rio de Janeiro: Multifoco, 2013b.

TRAULITO. Entre dois mundos: Entrevista com Jerá Giselda, líder Guarani e Professora. Revista Traulito. n.2. Julho de 2010.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: A homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. 6. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

TREXLER, Richard C. Making the American Berdache: Choice or Constraint? Journal of Social History. Vol. 35, n. 3. P. 613-636, 2002.

TREXLER, Richard C. Sex and conquest: gendered violence, political order, and the European conquest of the Americas. Ithaca: Cornell University Press, 1995.

UGARTE, Auxiliomar Silva. Sertões de bárbaros: o mundo natural e as sociedades indígenas da Amazônia na visão dos cronistas ibéricos (séculos XVI-XVII). Manaus: Valer. 2009.

VAINFAS, Ronaldo. A Heresia dos Índios. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

VAINFAS, Ronaldo. A teia da intriga: Delação e Moralidade na Sociedade Colonial. In: VAINFAS, Ronaldo (Org.) História e Sexualidade no Brasil. Rio de Janeiro, Edições Graal, P. 41-66, 1986.

VAINFAS, Ronaldo. Moralidades Brasílicas: Deleites Sexuais e Linguagem Erótica na Sociedade Escravista. In: NOVAIS, Fernando (Org.) A História da Vida Privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, P. 221-73, 1997.

VAINFAS, Ronaldo. The Nefarious and the Colony. In: JOHNSON, Harold; DUTRA, Francis (Orgs.) Pelo vaso traseiro: Sodomy and Sodomites in Luso-Brazilian History. Tucson: Fenestra Books, P. 337-367. 2007.

VARNHAGEN, Francisco Adolpho de. Historia geral do Brazil, isto é, do descobrimento, colonisação, legislação e desenvolvimento deste estado, hoje imperio independente, escripta em presença de muitos documentos autenticos recolhidos nos archivos do Brazil, de Portugal, da Hespanha e da Hollanda. Tomo primeiro, Rio de Janeiro: Casa de E. e H. Laemmert, 1854.

VESPÚCIO, Américo. Novo Mundo: As cartas que batizaram a América. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2003.

WAGLEY, Charles. Welcome of Tears. Cambridge: Oxford University Press, 1977.

WAGLEY, Charles; GALVÃO, Eduardo. The Tenetehara Indians of Brazil. New York: Colombia University Press, 1949.

WOORTMANN, Klaas. O selvagem e a História. Heródoto e a questão do Outro. Rev. Antropol. vol.43, n.1, p. 13-59, 2000.

YOUNG, Robert J. C. Desejo Colonial. São Paulo: Perspectiva, 2005.

Capa para Descolonizando sexualidades: enquadramentos coloniais e homossexualidade indígena no Brasil e nos Estados Unidos
Publicado
setembro 11, 2020

Detalhes sobre essa publicação

Co-publisher's ISBN-13 (24)
978-65-5846-044-2
doi
10.26512/ldaa.57.43