O negro no mundo dos ricos : um estudo sobre a disparidade racial de riqueza com os dados do Censo 2010

Autores

Emerson Ferreira Rocha
Universidade de Brasília (UnB)
Palavras-chave: Desigualdade racial, Desigualdade de renda, Riqueza — Brasil, Educação — Brasil

Sinopse

O negro no mundo dos ricos é produto de pesquisa de doutorado realizada na Universidade de Brasília, com apoio do CNPq, c na Unrvcrsity of Illinois at Urbana Champaign, com apoio da Capes. O livro utiliza os dados do último Censo Demográfico brasileiro para identificar padrões na desigualdade de renda entre negros e brancos no Brasil, dando ênfase ao grupo dos 1% mais ricos da população. Com isso, o trabalho pretende lançar novas luzes sobre o estudo da desigualdade racial de renda no Brasil, que tem dado enfoque a diferenças na média dos rendimentos ou na composição racial das faixas mais pobres da população. A intenção das análises é identificar, a partir de uma série de exercícios estatísticos, o papel desempenhado, de um lado, por processos de discriminação racial e, do outro, pelas desigualdades educacionais entre negros e brancos, inclusive em termos de área de formação superior, na determinação das desigualdades observadas na composição do grupo dos ricos. Destacando as interações entre condição racial e condição de gênero, o livro traz também um diagnóstico sobre as situações enfrentadas, especificamente, pelas mulheres negras.

Capítulos

  • Prefácio
  • Introdução
  • 1. Os grupos raciais
  • 2. A acomodação das relações raciais em posições de classe
  • 3. A desigualdade racial ao longo da distribuição de renda
  • 4. Condição racial e o grupo dos ricos
  • 5. Educação, raça e riqueza
  • 6. Raça, riqueza e poder
  • Considerações finais
  • Referências

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDREWS, George Reid. Negros e brancos em São Paulo (1988-1998). Bauru, SP: EDUSC, 1998.

AVRITZER, Leonardo. Sociedade civil, instituições participativas e representação: da autorização à legitimidade da ação. Dados, v. 50, nº 3, 2007.

AZEVEDO, Thales de. As elites de cor numa cidade brasileira: um estudo de ascensão social & classes sociais e grupos de prestígio. São Paulo: Nacional, 1955.

BUAUER, T. An extension of the Blinder-Oaxaca decomposition to non-linear models. Essen: RWI, 2006.

BICUDO, V. L.; MAIO, M. (org.). Atitudes raciais de pretos e mulatos em São Paulo. São Paulo: Sociologia e Política, 2010.

BIDERMAN, C.; GUIMARÃES, N. A. Na ante-sala da discriminação: o preço dos atributos de sexo e cor no Brasil (1989-1999). Estudos Feministas, v. 12, n. 2, p. 177-200, 2004.

BOURDIEU, Pierre. Distinction: a social critique of the judgement of taste. Cambridge, Mass: Harvard University Press, 1984.

BRIMMER, Andrew F. Income, wealth, and investment behavior in the black community. The American Economic Review, v. 78, n. 2, p. 151-155, 1988.

CAMPANTE, F. R.; CRESPO, A. R. V.; LEITE, P. G. P. G. Desigualdade salarial entre raças no mercado de trabalho urbano brasileiro: aspectos regionais. Revista Brasileira de Economia, v. 58, n.n2, p. 185-210, 2004.

CARNEIRO, Sueli. Enegrecer o feminismo: a situação da mulher negra na América Latina a partir de uma perspectiva de gênero. In: Racismos contemporâneos. Rio de Janeiro: Takano. 2003. p. 49-58.

CARVALHO, A. P.; NÉRI, M.; NASCIMENTO SILVA, D. B. Diferenciais de salários por raça e gênero no Brasil: aplicação dos procedimentos de Oaxaca e Heckman em pesquisas amostrais complexas. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2006.

COLLINS, Sharon M. The making of the black middle class. Social problems, v. 30, n.4, p. 369-382, 1983

COLLINS, Sharon M. The marginalization of black executives. Social problems, v. 36, n.4, p. 317-331, 1989.

CONCEIÇÃO, P.; FERREIRA, P. The young person’s guide to the Theil Index: suggesting intuitive interpretations and exploring analytical applications. Rochester, NY: Social Science Research Network, 2000.

COSTA PINTO, Luiz de Aguiar. O negro no Rio de Janeiro: relações de raça em uma sociedade em mudança. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1953.

COTTON, Jeremiah. On the decomposition of wage differentials. The Review of Economics and Statistics, p. 236-243, 1988.

DA MATTA, Roberto. Relativizando: uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro: Rocco, 1974.

DAGNINO, Evelina. Sociedade civil, espaços públicos e a construção democrática no Brasil: limites e possibilidades. In: DAGNINO, Evelina (org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

DELER, Carl N. Neither black nor white. New York: Macmillan, 1971.

DE LUCA, Tania Regina. A revista do Brasil: um diagnóstico para a (N)ação. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1999.

DUBOIS, W. E. B. (ed.). The Negro in business. Atlanta, GA: Atlanta University, 1971.

DU BOIS, W.E.B. The Negro. University of Pennsylvania Press, 1915.

DUNCAN, B.; DUNCAN, O. D. Minorities and the process of stratification. American Sociological Review, v. 33, n. 3, p. 356-364, 1968.

DUNCAN, O. D. Patterns of occupational mobility among Negro men. Demography, v. 5, n.1, p. 11-22, 1968.

DUNCAN, O. D. How destination depends on origin in the Occupational Mobility Table. American Journal of Sociology, v. 84, n. 4, p. 793-803, 1979.

DUTCHER, D. The Negro in modern industrial society: an analysis of changes in the occupations of Negro workers, 1910-1920. Lancaster, Pennsylvania, 1930.

ERIKSON, R.; GOLDTHORPE, J. H.; PORTOCARERO, L. Intergenerational class Mobility in three Western European societies: England, France and Sweden. The British Journal of Sociology, v. 30, n. 4, v. 415, 1979.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: Edufba, 2008.

FAIRLIE, Robert W. The absence of the African‐American owned business: an analysis of the dynamics of self‐employment. Journal of Labor Economics, v. 17, n. 1, p. 80-108, 1999.

FEATHERMAN, D. L.; HAUSER, R. M. Changes in the socioeconomic stratification of the races, 1962-73. American Journal of Sociology, v. 82, n. 3, p. 621-651, 1976.

FEATHERMAN, D. L.; LANCASTER JONES, F.; HAUSER, R. M. Assumptions of social mobility research in the U.S.: the case of occupational status. Social Science Research, v. 4, n. 4, p. 329-360, 1975.

FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1972.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Globo, 1965.

FERNANDES, Rubem César. Privado, porém público: o terceiro setor na América Latina. Rio de Janeiro: Relume, 1994.

FERREIRA, Marcelo C. Permeável, ma non troppo: a mobilidade social em setores de elites, Brasil-1996. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 16, n. 47, p. 141-160, 2001.

FRAZIER, Edward F. The Negro family in the United States. New York: Dryden Press, 1951.

FRAZIER, Edward F. Black bourgeoisie. Glencoe, Ill: Free Press, 1957.

FREYRE, Gilberto. Sobrados e mucambos: Decadencia do patriarchado rural no Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1936.

GANZEBOOM, H. B. G.; DE GRAAF, P. M.; TREIMAN, D. J. A standard international socio-economic index of occupational status. Social Science Research, v. 21, n. 1, p. 1-56, 1992.

GIBBONS, S.; OVERMAN, H.; PELKONEM, P. The decomposition of variance into individual and group components with an application to area disparities. London: LSE, 2012.

GOLDTHORPE, John H. Rent, class conflict, and class structure: a commentary on sorenson. American Journal of Sociology, v. 105, n. 6, p. 1.572-1.582, 2000.

GUIMARÃES, Antonio S. A. Preconceito de cor e racismo no Brasil. Revista de Antropologia, v. 47, n. 1, p. 9-43, 2004.

HAAN, P. Much ado about nothing: conditional logit vs. random coefficient models for estimating labour supply elasticities. Applied Economics Letters, v. 13, n. 4, p. 251-256, 2006.

HAREL, O.; ZHOU, X.-H. Multiple imputation: review of theory, implementation and software. 2006.

HARRIS, Abram L. The Negro as capitalist: a study of banking and business among American Negroes. College Park, Md: McGrath Pub. Co, 1936.

HASENBALG, C. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

HASENBALG, Carlos; SILVA, Nelson do Valle. Educação e diferenças raciais na mobilidade ocupacional no Brasil. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 22., 27 a 31 de outubro de 1998.

HASENBALG, Carlos; SILVA, Nelson do Valle. Raça e oportunidades educacionais no Brasil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 73, 1990.

HERINGER, Rosana. Desigualdades raciais no Brasil: síntese de indicadores e desafios no campo das políticas públicas. Cadernos de Saúde Pública, v. 18, p. 57-65, 2002.

HINE, D. C. Black Professionals and Race Consciousness: Origins of the Civil Rights Movement, 1890-1950. The Journal of American History, v. 89, n. 4, p. 1.279-1.294, 2003.

HOETKER, Glenn. The use of logit and probit models in strategic management research: Critical issues. Strategic Management Journal, v. 28, n. 4, p. 331-343, 2007.

HUTCHINSON, Harry. Race relations in a rural community of Bahian reconcavo. In: WAGLEY, Charles. Race and class in rural Brazil. 1972.

JUHN, C.; MURPHY, K. M.; PIERCE, B. Wage inequality and the rise in returns to skill. Journal of Political Economy, v. 101, n. 3, p. 410-442, 1993.

KEITH, V. M.; HERRING, C. Skin tone and stratification in the black community. American Journal of Sociology, v. 97, n. 3, p. 760-778, 1991.

KITAGAWA, E. M.; HAUSER, P. M. Education differentials in mortality by cause of death: United States, 1960. Demography, v. 5, n. 1, p. 318-353, 1968.

KOENKER, Roger. Quantile regression. Cambridge University Press, 2005.

LANDIM, Leilah (org). Ações em sociedade: militância, caridade, assistência, etc. Rio de Janeiro: NAU, 1998.

LANDRY, B.; MARSH, K. The evolution of the new black middle class. Annual Review of Sociology, v. 37, n. 1, p. 373-394, 2011.

LAVALLE, A. G.; CASTELLO, G.; BICHIR, R. M. Protagonistas na sociedade civil: redes e centralidades de organizações civis em São Paulo. Dados, v. 50, n. 3, 2007.

LIN, Ting H. A comparison of multiple imputation with EM algorithm and MCMC method for quality of life missing data. Quality & Quantity, v. 44, n. 2, p. 277-287, 2010.

MADDOX, K. B. Perspectives on racial phenotypicality bias. Personality and Social Psychology Review, v. 8, n. 4, p. 383-401, 2004.

MAGGIE, Y.; REZENDE, C. B. (org.). Raça como retórica: a construção da diferença. Rio de Janeiro: Record, 2002.

MATOS, R. S.; MACHADO, A. F. Diferencial de rendimentos por cor e sexo no Brasil (1987-2001). Econômica, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 5-27, 2006.

MEDEIROS, Marcelo. O que faz os ricos ricos: o outro lado da desigualdade brasileira. São Paulo: Hucitec, 2005.

MEDEIROS, M.; GALVÃO, J. Educação e rendimentos dos ricos no Brasil. Dados, v. 59, n. 2, p. 357-383, 2016.

MEDEIROS, M.; SOUZA, P. H. F. The rich, the affluent and the top incomes. Current Sociology, 2014.

MILLS, C. Wright. The power elite. New York: Oxford University Press, 1956.

MOSCA, G.; KAHN, H. D.; IN LIVINSTON, A. The ruling class: elementi di scienza politica. New York: McGraw-Hill Book Company, 1939.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da senzala. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

MYRDAL, Gunnar. An American dilemma. New Jersey: Transaction Publishers, 1944.

NOGUEIRA, Oracy. Preconceito de marca: as relações raciais em Itapetininga. São Paulo: Edusp, 1950.

NORTON, E. C.; WANG, H.; AI, C. Computing interaction effects and standard errors in logit and probit models. Stata Journal, v. 4, n. 2, p. 54-167, 2004.

NUNES, J. H.; SANTOS, N. J. V. A desigualdade no “topo”. Empregadores negros e brancos no mercado de trabalho brasileiro. Civitas - Revista de Ciências Sociais, v. 16, n. 2, p. e87-e109, 2016.

OAXACA, R. Male-female wage differentials in urban labor markets. International Economic Review, v. 14, n. 3, p. 693-709, 1973.

OAXACA, R. L.; RANSOM, M. R. On discrimination and the decomposition of wage differentials. Journal of Econometrics, v. 61, n. 1, p. 5-21, 1994.

OSÓRIO, Rafael Guerreiro. Desigualdade racial e mobilidade social no Brasil: um balanço das teorias. In: THEODORO, Mário. As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil: 120 anos após a abolição. Brasília: Ipea, 2008. p. 65-96.

OSÓRIO, Rafael Guerreiro. O sistema classificatório de cor ou raça do IBGE. Brasília: Ipea, 2003.

PARETO, V.; LIVINGSTON, A. The mind and society: a treatise on general sociology. New York: Dover, 1963.

PARK, Robert. The nature of race relations. In: BACK, L.; SOLOMOS, J. (org.). Theories of race and racism: a reader. Rutledge, 2000.

PEICHL, A.; SCHAEFER, T.; SCHEICHER, C. Measuring richness and poverty: a micro data application to Europe and Germany. Review of Income and Wealth, v. 56, n. 3, p. 597-619, 2010.

PIERSON, Donald. Brancos e pretos na Bahia: estudo de contato racial. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1942.

PYATT, Graham. On the interpretation and disaggregation of Gini coefficients. The Economic Journal, v. 86, n. 342, p. 243-255, 1976.

QUARLES, Benjamim. The Negro in the making of America. New York: Collier Books, 1969.

RAMOS, Arthur. Las poblaciones del Brasil. México: Fondo de cultura económica, 1944.

RAMOS, Arthur. As culturas negras no Novo Mundo: negro brasileiro III. 2ª ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1946.

RANSFORD, H. Edward. Skin color, life chances, and anti-white attitudes. Social Problems, v. 18, n. 2, p. 164-179, 1970.

REUTER, Edward. B. The mulatto in the United States: including a study of the role of mixed-blood races throughout the world. New York: Negro Universities Press, 1969.

RIBEIRO, Carlos A. C. Classe, raça e mobilidade social no Brasil. Dados, v. 49, n. 4, p. 833-873, 2006.

RODRIGUES, Nina. Os africanos no Brasil. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1988.

SANTOS, José A. F. Uma classificação socioeconômica para o Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 20, n. 58, p. 27-45, 2005a.

SANTOS, José A. F. Efeitos de classe na desigualdade racial no Brasil. Dados, v. 48, n. 1, p. 21-65, 2005b.

SCALON, M. C. Mapeando estratos: critérios para escolha de uma classificação. Dados, v. 41, n. 2, p. 337-375, 1998.

SEBASTIÃO, Ana Angélica. Feminismo negro e suas práticas no campo da cultura. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as, v. 1, n. 1, p. 61-77, 2010.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil – 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SHANAHAN, M. J.; PORFELLI, E. Integrating the life course and life-span: formulating research questions with dual points of entry. Journal of Vocational Behavior, v. 61, n. 3, p. 398-406, 2002.

SILVA, Nelson do Valle. Cor e processo de realização socioeconômica. In: HASENBALG, Carlos; SILVA, Nelson do Valle (org.). Estrutura social, mobilidade e raça. São Paulo: Edições Vértice, 1988. p. 144-163.

SILVA, Nelson do Valle. Cor e mobilidade ocupacional. In: PASTORE, J.; SILVA, Nelson do Valle. Mobilidade social no Brasil. São Paulo: Makron, 2000.

SOARES, Sergei S. D. O perfil da discriminação no mercado de trabalho: homens negros, mulheres brancas e mulheres negras. Brasília: Ipea, 2000.

SORENSEN, A. B. Toward a sounder basis for class analysis. American Journal of Sociology, v. 105, n. 6, p. 1.523-1.558, 2000.

SOROKIN, P. A. Estratificación Ocupacional. Revista Mexicana de Sociología, v. 16, n. 1, p. 103-136, 1954.

SOUZA, P. F.; RIBEIRO, C. A. C.; CARVALHAES, F. Inequality of opportunities in Brazil: considerations on class, education, and race. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 25, n. 73, p. 77-100, 2010.

STAFF, J.; MORTIMER, J. T. Educational and work strategies from adolescence to early adulthood: consequences for educational attainment. Social Forces, v. 85, n. 3, p. 1.169-1.194, 2007.

STOWE, Harriet Beecher. Uncle Tom’s cabin. Broadview Press, 2009.

TATAGIBA, Luciana. Os conselhos gestores e a democratização das políticas públicas no Brasil. In: DAGNINO, Evelina (org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

TELLES, Edward Eric. Racismo à brasileira: uma nova perspectiva sociológica. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

TELLES, E. E.; LIM, N. Does it matter who answers the race question? Racial classification and income inequality in Brazil. Demography, v. 35, n. 4, p. 465-474, 1998.

THE NEGRO handbook. Chicago: Johnson Pub. 1966.

THEIL, H. The measurement of inequality by components of income. Economics Letters, v. 2, n. 2, p. 197-199, 1979.

THOMAS, M. E. Race, class, and personal income: an empirical test of the Declining Significance of Race Thesis, 1968-1988. Social Problems, v. 40, n. 3, p. 328-342, 1993.

THOMAS, M. E.; HUGHES, M. The continuing significance of race: a study of race, class, and quality of life in America, 1972-1985. American Sociological Review, v. 51, n. 6, p. 830-841, 1986.

TREIMAN, Donald J. Quantitative data analysis: doing social research to test ideas. Jossey-Bass, 2010.

WAGLEY, Charles. Race and Class in Brazil Rural. New York: Columbia University Press, 1952.

WARNER W. Lloyd; DAVIS, Allison. A comparative study of American caste. In: THOMPSON, E. T. (ed.). Race relations and the race problem: a definition and an analysis. Durham, N.C: Duke University Press, 1939.

WARREN, John R. Reconsidering the relationship between student employment and academic outcomes: a new theory and better data. Youth & Society, v. 33, n. 3, p. 366-393, 2002.

WASHINGTON, Booker T. The Negro problem: a series of articles representative American Negroes of to-day. Charlottesville, Va: University of Virginia Library, 1903.

WEBER, M. Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro: Editora LTC, 1982.

WILLIE, C. V. The inclining significance of race. Society, v. 15, n. 5, p. 10, 1978.

WILSON, W. J. The declining significance of race. Society, v. 15, n. 5, p. 11, 1978.

WRIGHT, Erik O. Class and occupation. Theory and Society, v. 9, n. 1, p. 177-214, 1980.

WRIGHT, Erik O. Class, exploitation, and economic rents: reflections on Sorenson’s “Sounder Basis”. American Journal of Sociology, v. 105, n. 6, p. 1.559-1.571, 2000.

YUN, Myeong-Su. Wage differentials, discrimination and inequality: a cautionary note on the Juhn, Murphy and Pierce Decomposition Method. Scottish Journal of Political Economy, v. 56, n. 1, p. 114-122, 2009.

Capa para O negro no mundo dos ricos : um estudo sobre a disparidade racial de riqueza com os dados do Censo 2010
Publicado
maio 5, 2020

Detalhes sobre essa publicação

ISBN-13 (15)
978-85-230-0992-2
Bookmark and Share